Review do Filme: Sobrenatural: A Origem

Sobrenatural a Origem Cena 1

Sobrenatural: A Origem, assim como seus antecessores traz um terror marcante composto mais por efeitos visuais clássicos e maquiagem do que por modernos efeitos computadorizados. São poucas as cenas que se apoiam em CGI, dando destaque e criando desafios ao trabalho do elenco e do diretor em trazer o filme à vida.

Os dois primeiros filmes carregam a assinatura de James Wan, responsável por filmes como Jogos Vorazes, Gritos Mortais e Velozes & Furiosos 7. Já esse lançamento ficou a cargo de Leigh Whannell, que trabalhou com James em diversos de seus filmes e trabalhou como ator e produtor da franquia Sobrenatural desde o primeiro filme.

Sobrenatural A Origem - Quinn Debilitada

Esse filme se passa 2 anos antes dos eventos vistos no primeiro filme, mostrando como a sensitiva Elise Rainier concorda com ressalvas em usar sua habilidade para contatar os mortos e ajudar uma adolescente que precisava entrar em contato com sua mãe.
Elise traz todo seu carisma para pontuar a apresentação da trama e nortear os rumos do filme. Podemos ver um pouco mais do passado dela, de suas motivações e como isso é utilizado para ela se reerguer e salvar as pessoas.

Quinn Brenner (Stefanie Scott) faz a típica adolescente americana, com sonhos para seu futuro e que sofre de luto por sua mãe. Ela começa a ser contactada por uma entidade que responde suas preces, sua angústia.
O visual do prédio em que a família de Quinn mora lembra bastante o de um hotel antigo. Os corredores compridos e esquecidos ao tempo remontam ao visual de clássicos como O Iluminado.

Quinn apavorada em Sobrenatural A origem

O uso da luz e a fotografia estava incrível. Somos levados em numa jornada de sustos bem suportados com os efeitos sonoros potentes, rangidos e reviravoltas, assim como o caminho dos personagens durante o filme que deixam pouco a pouco um clima muito mais amedrontador. Infelizmente sobre as melhores cenas não posso entrar em detalhes por conta de spoilers.

Entre os pontos negativos do filme tenho de destacar a falta de convencimento que a personagem principal traz após as situações de susto a cada noite. Uma pessoa que acaba de ver uma coisa pavorosa ou suspeita dificilmente consegue dormir novamente e nesse filme a personagem sempre tenta dormir novamente como se nada tivesse acontecido para suportar a trama. Acabei por notar esse detalhe com mais atenção justamente por dias antes ter visto o filme “The Babadook” onde esse tipo de situação é contornada com uso de remédios para dormir, criando assim uma desculpa de roteiro mais convincente ao público.

Predio de Quinn em Sobrenatural a Origem
Sobrenatural: A Origem acaba não levando tantos louros, mas seus pontos positivos reunidos valem o ingresso. Esse filme traz planos de câmera com um bom suspense, sons perturbadores que dão agonia e até mesmo algumas cenas para aliviar a tensão com pitadas de comédia. Muitos detalhes que os fãs de filmes de terror procuram para aproveitar a pipoca e o que os que já curtiram os dois filmes anteriores podem querer em uma sequência.

Fica mais uma dúvida que foi deixada desde o primeiro filme: Teremos mais filmes da franquia? E você que já assistiu ao filme? O que mais curtiu? Deixe seu comentário abaixo.

Deixe um comentário

0
    0
    Carrinho
    Seu carrinho está vazioVoltar para a home
    Esse site utiliza cookies para oferecer uma melhor experiência de uso no site.