Longa dirigido por Kiko Goifman ocupa saguão do cinema com exposição inspirada no filme

No dia 27 de agosto será aberta a exposição “Máquinas do Olhar” que ocupará o saguão do CineSesc . A abertura da exposição coincide com o lançamento do longa “Periscópio”, dirigido por Kiko Goifman e protagonizado por Jean Claude Bernardet e João Miguel.

Jean Claude Bernadet
Jean Claude Bernadet
A exposição “Máquinas do Olhar” parte do longa metragem “Periscópio” para apresentar um pouco do universo que revela o interesse que temos em dispositivos
para conceber e fabricar imagens, que nos permitem ver além dos limites do olho e da mente.
Óculos, monóculos, binóculos, lupas, mirantes, periscópios, até mesmo sonhos permitem as pessoas enxergarem coisas que escapam aos limites fisiológicos da visão. Mas por que fazer uma exposição a partir de um filme? Por que levar obras de arte a espaços menos amigáveis à sua fruição o que o espaço neutro dos museus e galerias?
João Miguel e Jean Claude Bernadet
João Miguel e Jean Claude Bernadet
Com obras de artistas e museografia que lidam com diferentes modos de ver, “Máquinas de Olhar” propõe formas de circulação que embaralham as fronteiras nítidas entre os circuitos do cinema e das artes, da mesma forma que o jogo de reflexos e o trânsito obras e museografia entre o olhar para a parede e o olhar para objetos perturba a percepção do que é espaço expositivo, rua e mundo mediado diante de um público convidado o tempo todo a circular e interagir de forma lúdica com as obras e espaços.
Obras como “Spin”, de Raquel Kogan, e “Capacete Gambiológico”, do coletivo Gambiologia permite que o público reconstrua o espaço, seja ao olhar através de um periscópio que reflete e gira as áreas do espaço expositivo para onde estiver apontado, seja ao vestir um capacete que amplia tudo o que estiver diante do olhar
Dispositivos criados para multiplicar pontos de vista do espaço, exibir textos e vídeos — fragmentos de “A Casa Tomada”, de Cortázar, um texto inédito de Hilton Lacerda sobre o universo das máquinas do olhar, vídeos curtos que circulam como meme no VIMEO (“High Five Camera”, “A Camera Drama”) e obras de vídeoarte de Éder Santos, Raimo Benedetti, Gabriel Menotti, Vic Von Poser e outros — sugerem um olhar através de aparelhos que tiram o corpo do espaço expositivo ao ligar através do olhar aos mundos imaginários apresentados pelas obras
Este diálogo entre obras físicas que permitem ver o mundo de outra forma, e obras imateriais vistas através de dispositivos que deslocam o olhar para além do
João Miguel
João Miguel
espaço físico imediato, se completa pelo diálogo entre obras que dialogam como universo do filme “Periscópio” e outras motivadas diretamente pelo longa — um disco conceito de DJ Dolores, fotos de cenas do filme, os desenhos originais que Laerte fez para o cartaz — num espaço de instabilidades e hibridizações motivados pelo tópico das máquinas de olhar e as reconfigurações do espaço propostas pela exposição.
 
 
Sobre o filme
“Periscópio” é um longa-metragem de ficção dirigido por Kiko Goifman, produzido por Jurandir Muller (PaleoTV). O filme teve a première nacional no Festival poster-PATROCÍNIOS-evideoclipede Cinema do Rio e a estreia mundial no importante Festival de Rotterdam. No elenco, o premiadíssimo ator João Miguel e o crítico, diretor e também ator, Jean-Claude Bernardet. O filme será distribuído pela Vitrine Filmes e entra em circuito comercial em 27 de agosto.
Dois homens em um apartamento. Conflitos, brigas e ironia. Tudo parece ter chegado ao fim, o tempo está congelado e a iminência da morte marca o cotidiano. Subitamente, um objeto de ferro e luz rasga o assoalho da sala da casa. A rotina se quebra, as mudanças são radicais.
Filmado integralmente em um apartamento na cidade de São Paulo, PERISCÓPIO compreende dois momentos claramente marcados: No início, o insustentável ambiente entre os dois homens (Eric, com quase oitenta anos e Élvio, com a metade). Provocações mútuas e conflito. No filme não interessam as histórias prévias dos personagens. Um proposital embaralhamento é criado sugerindo num primeiro momento que são vizinhos, depois pai e filho e, posteriormente, que o mais novo é um enfermeiro e cuidador do mais velho.
A monotonia, o ciclo repetitivo dos dias se quebra de forma abrupta. Um periscópio vindo do apartamento do andar abaixo rasga o chão da sala. Num primeiro momento o susto. Depois, a fruição. Alguém no mundo se interessa por suas vidas miseráveis. Eles começam a encenar, cantar e dançar para o Periscópio. Até que novidades surgem…
Veja a ficha técnica
Serviço:
Abertura da exposição “Máquinas do Olhar”
Dia: Dia 27 de Agosto
Horário: 19h
Local: CineSesc (Rua Augusta, 2075)

Deixe um comentário

0
    0
    Carrinho
    Seu carrinho está vazioVoltar para a home
    Esse site utiliza cookies para oferecer uma melhor experiência de uso no site.