Review – Fuller House | 3ª Temporada: Viagem ao Japão

A família Tanner cresceu e a Netflix devolveu as telinhas a série de comédia mais queridinha de todos os tempos. Fuller House é uma série Original da Netflix, um spin-off da sitcom Full House, de 1987.
Nesse contexto, DJ (Candace Cameron) casou e teve três filhos, porém seu marido faleceu em um acidente como bombeiro. Ela trabalha como veterinária e estava muito preocupada em sozinha não dar conta de ser profissional, dona de casa e mãe. Então sua irmã Stephanie (Jodie Sweetin) e sua melhor amiga de infância Kimmy Gibler (Andrea Barber) decidem morar com ela para ajudar. A típica história de Full House, quando Jesse Katsopolis (John Stamos) e  Joseph “Joey” Gladstone (Dave Coulier) vão morar com Danny Tanner (Bob Saget) após ele ficar viúvo para ajudar com a criação das meninas.
Os filhos da DJ são Jackson (Michael Campion) que é o mais velho e um adolescente que está tentando se encontrar, Max (Elias Harger) que é o filho do meio e neurótico e por último Tommy (Dashiell e Fox Messit), o bebê. Kimmy, amiga da DJ, também já é mãe e leva sua filha adolescente Ramona (Soni Nicole Bringas) para morar com ela na casa dos Fuller. Fernando (Juan Pablo Di Pace) ex-marido, porém também atual namorado de Kimmy, é constante na série.
A decepção é que a pequena Michelle (Mary-Kate Olsen e Ashley Olsen) não participa dessa versão, mencionam em alguns episódios que ela está cuidando de seu império da moda, o que realmente é verdade.
Com um humor leve e puro, Fuller House resgata a ideia de que quando a família está reunida tudo será superado. Com problemas comuns como de relacionamentos, finanças e decepções cotidianas continua o legado de Full House, onde tudo resolve-se com um abraço.

A 3ª temporada da série foi dividida em duas metades, a segunda metade foi lançada em dezembro de 2017 com a família Tanner/Fuller indo prestigiar o casamento de Steve (Scott Weinger) e sua atual namorada CJ (Virginia Williams) no Japão. Por conta do amor não resolvido de DJ e Steve, acontecem muitos problemas que dão uma reviravolta na história.
Os pontos interessantes que podemos ressaltar dessa última temporada lançada primeiramente é o tema de abertura cantado em japonês, que ficou incrível. A participação da boy band japonesa Sexy Zone, que eu jurava ser fictícia até pesquisar sobre e ver que ela realmente existe no Japão. Alguns passeios dos personagens por atrações turísticas também são interessantes, valorizando o país e mostrando um pouquinho do que encontra-se por lá como o Parque da Hello Kitty – Sanrio Puroland, algumas ruas da cidade e um Neko Café – um café onde você pode brincar com gatos.

Essa temporada trouxe uma energia diferente para a série e reanimou a história que estava ficando monótona. Mesmo com a ausência de Michelle, a Netflix não tem deixado a desejar em nada e essa tem sido a minha série queridinha de todos os dias. A Netflix com certeza merece um abraço.
 

Deixe um comentário

0
    0
    Carrinho
    Seu carrinho está vazioVoltar para a home
    Esse site utiliza cookies para oferecer uma melhor experiência de uso no site.